História e grupos

Home
Downloads
Quiz
Novidades
Entrevistas
Episódios

    Os cavaleiros são os principais responsáveis pela manutenção da justiça e defesa dos mais fracos através de toda Galáxia. Através do uso da Força, adquirido com intenso e prolongado treinamento, o Jedi é formado. Na sua vida o Cavaleiro deve obedecer um código de comportamento redigido pelo Conselho. Para utlizar a Força, o Jedi deve estar em harmonia com ela. Agir em dissonância com a Força leva ao esvaziamento do seu poder. A Força é criada e sustentada pela vida, é uma essência viva. O Jedi age para preservar a vida, porém pode matar em defesa pessoal ou em defesa de outros, mas quando isso ocorre, o Cavaleiro comete um crime contra a Força. Embora saiba que fez isso pelo bem, e o bem justifica seu ato, o Jedi também deve saber que a morte permanece como uma marca em seu espírito. O Jedi não age para lucro pessoal, riqueza ou poder. Deve agir para ganhar conhecimento, sustentar a liberdade, vida e aprendizado; derrotar os que impõe tirania, morte e ignorância. Para alcançar suas metas um Jedi pode obter riqueza ou poder, mas não está interessado nisto e, para sua própria causa, se renderá uma vez que essas metas sejam alcançadas. Um Jedi nunca é impulsionado pelo ódio, ira, medo ou agressão; tem que agir em paz, com a Força. Ele deve ter estes ensinamentos em si ou poderá ser seduzido pelo Lado Negro.

O Código Jedi
Não há impulsividade, há paz
Não há ignorância, há conhecimento
Não há paixão, há serenidade
Não há morte, existe a Força

História e Grupos
    Os Jedi surgiram do sistema de Adega. Os maiores indícios apontam que os primeiros Cavaleiros vieram de Ossus, ou então se transferiram para este planeta em tempos muito antigos. O surgimento dos Jedi e suas habilidades com a Força vem de tempos remotos, não restando qualquer tipo de registro, ou se esses existem são incompreensíveis. É bem possível que sua origem esteja ligada com a concepção de algumas mulheres pelos próprios Midi Chlorians.
    Grande parte da documentação de ensinamentos e conhecimentos reunidos pelos Jedi foi destruído com as batalhas, roubado ou mesmo perdido e esquecido. Com a invenção do hyperdrive os Jedi espalharam-se pela galáxia conforme a República espalhou-se. O Conselho Jedi surgiu com o objetivo de organizar as atividades dos Cavaleiros e é formado somente por Mestres, com raras exceções. Na idade áurea da República Velha a galáxia contava com milhares de Jedi; cada sistema planetário, conforme seu tamanho, tinha um grupo de Cavaleiros responsável por defendê-lo.

Luke Skywalker

    A luta contra o lado Negro foi quase uma constante para a Ordem Jedi. As guerras com o Sith e Krath, travadas na época áurea da República Velha, marcaram um período conturbado e triunfante na História Jedi. Nesta época, quase exterminados, os Jedi se reestruturaram. Após milênios de sossego o Sith retornou com força nunca antes vista, com a ascensão no poder do Lorde Sith Darth Sidious. Sidious com a ajuda de seu aluno Darth Vader caçou e novamente exterminou quase todos os Jedi. A reação Jedi ocorreu através de Luke Skywalker, filho de Vader,treinado por Obi-Wan Kenobi e Yoda. Luke, junto com a Aliança e seus amigos, derrotou o Império e Darth Sidious. Posteriormente Luke consolidou a Nova República e fundou uma nova base de ensinamentos, um Praxeum, junto com outros Mestres.

Obi-Wan e Qui-Gon Jinn

   Teepo Blaster
    A Ordem Teepo, se comparada a Ordem Jedi é extremamente jovem. O pequeno e fanático grupo foi fundado em torno da época da invenção do Blaster por um Mestre Jedi Twi'lek chamado Nars Teepo. Teepo teve uma visão singular, bem diferente de outros Mestres. O Twi'lek acreditava na mudança das coisas, para ele mesmo as tradições não deveriam permanecer estáticas. Com isso Teepo adotou a posição de que os Jedi deveriam mudar e adotar o Blaster como arma. Isso não foi aceito pela comunidade Jedi e Teepo foi excluído da Ordem, acusado de estar cedendo ao Lado Negro da Força. Daí em diante Teepo assumiu uma vida eremita, porém ainda estudando o Blaster e sua utilidade. Muitos amigos e estudantes do Mestre recusaram-se a aceitar a escolha dele e tentaram convencê-lo a reconsiderar suas idéias. Teepo foi hábil e além de não retornar converteu outros tantos para seu ponto de vista, fundando assim sua Ordem em um recanto da Galáxia. Depois de muitos séculos, a Ordem de Teepo foi chamada para lutar contra uma grande ameaça, uma ameaça capaz até de destruir a Ordem Jedi tradicional. As duas Ordens lutaram lado a lado como irmãos nas Guerras Clônicas, mas o resultado foi em vão . Ambas escolas foram caçadas, a Ordem de Teepo pode sobreviver graças a sua tradição e experiência em esconder-se através da Galáxia.
    Os integrantes da Ordem Teepo não se consideram Cavaleiros e sim Paladinos - para diferenciá-los de outros Jedi. Os Paladinos nunca usam Blasters pesados, nunca escondem suas armas (este é um símbolo de quem eles são), nunca usam armadura de qualquer tipo com exceção de um capacete. Os Mestres da Ordem são conhecidos por usarem um capacete que não os permita ver, assim eles utilizam a Força para perceber tudo que está ao seu redor - aos iniciantes isso é proibido. Em geral os Paladinos mais habilidosos carregam dois Blasters, um para cada mão.

   Filosofia de Teepo

    Assim como toda Ordem, a Teepo Blaster tinha suas próprias doutrinas.

"Nunca puxe seu blaster sem ser provocado primeiro"

"A agressão é o Lado Negro. Esteja em paz, em perfeita harmonia antes de agir. Mesmo que isso signifique ser morto. Um Paladino nunca age com raiva ou ódio"

"Nunca use um Sabre de Luz"

   Jedi Cinza, o Caminho de Baadu
    O Baadu, ou Jedi Cinza, é um tipo raro de usuário da Força. O Jedi Cinza tenta permanecer neutro na luta entre o Lado Negro e o caminho do Jedi verdadeiramente consciente. Esta não é uma tarefa fácil; atingir uma quantia exata de neutralidade entre Luz e Trevas através da Força requer alto controle. Um Poder da Força muito particular é preciso para a existência do Baadu. Por este simples motivo os Baadu são muito difíceis de serem achados. Nenhum não usuário da Força (com exceção de estudiosos Jedi) já deve ter ouvido falar deles, apenas Mestres devem ter encontrado algum deles. Por outro lado eles são populares nas estórias de donos de cantina em sistemas isolados.

   A História de Baadu

    O caminho trilhado por um Jedi Cinza foi aberto por Biirta Baadu, um Mestre Jedi humano que estudou e apreciou o Lado Negro durante muito tempo da sua vida. Na verdade ele nunca se deixou dominar ou se tornou seguidor do Lado Negro, entretanto se tornou muito bem versado em seu uso. Biirta conseguiu desenvolver um poder da Força que pôde mantê-lo distante da atração irresistível do Lado Negro, assim ele sempre se manteve seguro. Biirta nunca ensinou para qualquer ser suas descobertas e técnicas, mas seu diário de anotações foi encontrado por alguém. Deste diário foram feitas algumas cópias e estas foram difundidas pela Galáxia.
    O Baadu tende a ser muito solitário. O caminho do Jedi Cinza é singular, somente alguns poucos podem manter a dualidade da consciência que isto requer. Entre eles não há nenhuma hierarquia ou ordem, tanto pode haver amizade como inimizade nas raras ocasiões em que se encontram. A maioria dos Baadu tendem a conduzir vidas errantes, praticam tanto atos de generosidade, como crimes. Embora a ilegalidade dos seus atos, eles sempre podem ser questionados...
    O Baadu pode alcançar a neutralidade através de dois métodos. O primeiro através de ações alternadas que o conduzissem a um ou outro Lado da Força; o segundo atingindo o equilíbrio diretamente com Força. Quando Birtaa Baadu decidiu usufruir da neutralidade, considerou o primeiro método de difícil controle e incômodo. Haviam períodos em que ele não sabia se estava neutro ou em um dos Lados. Depois de anos de estudo intensivo, conseguiu desenvolver o segundo método. Um poder da Força sem igual, que removia a influência de ambos lados. O uso deste poder facilitou o avanço do seu estudo. Em seu experimentalismo Baadu retrocedeu e avançou, encontrou recompensas e desvantagens.
    A maioria dos Baadu usa Sabres de Luz, outros utilizam blasters. Esta é apenas uma questão de preferência pessoal. Um exemplo de Jedi cinza, ainda que temporariamente, foi Luke Skywalker. Durante certo tempo Luke oscilou entre ceder ao Lado Negro e trilhar o Lado da Luz, mantendo um equilíbrio delicado e usufruindo de alguns poderes de ambos os lados. A neutralidade dele foi quebrada ao enfrentar Palpatine e Vader, na segunda estrela da Morte.

   Praxeum
    Após o extermínio Jedi, com a morte e captura dos Jedi, a Ordem se dissolveu. Os sobreviventes se esconderam e novamente esperaram pelo prometido que traria o equilíbrio. O jovem Luke Skywalker foi o responsável pelo renascimento Jedi. Com a derrota na Batalha de Endor e os fatos subseqüentes a esta, Skywalker começou sua busca por outros sensitivos da Força. Quando Han Solo fugiu para Dathomir levando Leia, Skywalker seguiu para o planeta. Junto com seus amigos Luke enfrentou e destruiu a ordem das Nightsisters, ele foi recompesado pelo seu ato de nobreza e coragem pelas Witches of Dathomir. O prêmio de Luke foi uma coleção de vários artefatos Jedi, eles continham conhecimento para que ele pudesse estabelecer uma nova Ordem e que o auxiliariam em sua jornada. Luke Skywalker colocou em prática seus conhecimentos recém adquiridos e fundou o Praxeum. Desenvolvendo novas técnicas para reconhecer sensitivos da Força, Luke recrutou novos aprendizes e contou com a ajuda de outros Cavaleiros sobreviventes do extermínio para dirigir a nova Academia.

   Perigos do Lado Negro
    A Força possui dois lados. Onde um ser se expor à luz existirá uma sombra. Assim é a Força, por toda sua vida o Jedi deverá fazer sua escolha: emergir nas Trevas ou trilhar a Luz. O Lado Negro é sedutor, vem da sede de poder, da ignorância, do medo, da comodidade de obter facilmente o controle. Uma vez no Lado Negro, o caminho pode ser irreversível.

    O maior exemplo de um Jedi que cedeu ao Lado Negro foi Anakin Skywalker. Sem a experiência de outros Mestres e instrutores, Obi-Wan não percebeu a cobiça e sede de poder que tomavam conta do aprendiz. Incapaz de ensinar tanto quanto o seu instrutor podia lhe oferecer, Anakin foi facilmente seduzido pelas promessas de poder de Sidious e mergulhou nos ensinamentos Sith.

    "O treinamento Jedi é uma perseguição recompensadora, mas um caminho com muitos perigos que podem ser imperceptíveis. Nunca, Mestre Jedi, relaxe quando seu aluno começar a aumentar sua ânsia em aprender em um ritmo maior do que você fixou para ele. Tal impaciência é natural no jovem inexperiente e é até mesmo uma característica recomendável em um estudante. Mas também sinaliza um período quando o aluno está mais aberto à tentação de trilhar um caminho de satisfação imediata e avanço fácil, que conduzem ao Lado Negro. Tome cuidado, Mestre Jedi, para que por descuido ou desatenção você não solte na galáxia um monstro..."
    Mestre Bodo Baas

    "Os antigos Mestres Jedi sabiam que o treinamento devia ser conduzido lentamente. Muito poder acumulado rapidamente corrompe até mesmo o aprendiz Jedi mais abnegado e devoto. Um estudante Jedi deve ser humilde em seu poder, amadurecer o suficiente para abraçar a responsabilidade que vem com o domínio da Força. Um estudante talentoso, impaciente com exercícios insensatos, ansioso com a lentidão de seu tutor, pode perder o ponto para se tornar um Jedi. O Jedi não almeja poder, mas busca servir outros, sem a expectativa de formação de ser poderoso na Força. Nos dias da República Velha, os professores Jedi mantiveram um ritmo cuidadoso de ensinamento dos aprendizes, sempre alertas para os sinais óbvios de um eventual aprendiz teimoso, que deseja mais do que está preparado para receber. Todo discípulo Jedi ouviu a história terrível do talentoso Exar Kun, de como ele se perdeu no Lado Negro através da sua convicção arrogante, ele achou que ele poderia dominar os ensinos Sith sem ser dominado. Enquanto os professores Jedi do passado podiam utilizar séculos de tradição e experiência no treinamento de um Jedi, eu tenho menos recursos disponíveis para mim. Lamento saber menos do que devo dos tremendos perigos que existem no treinamento Jedi. Nos primeiros dias da Academia eu não antecipei certos problemas com meus alunos Gantoris e Kyp Durron. Gantoris perdeu a vida por meus erros e Kyp quase foi perdido para o Lado Negro. Asseguro que saí dessas experiências com um novo respeito pela pesada responsabilidade em ser o professor de uma nova geração de Cavaleiros Jedi."
    Mestre Luke Skywalker